Logo da CAARJ
Logo da OAB-RJ

VIDA | NOTÍCIAS

Doenças de pele no verão

doencadepele

No dia 21 de dezembro, começa a estação mais quente do ano. E associada a dias de muita diversão, a chegada do verão é esperada com muita expectativa por familiares e amigos, pois é o momento que se reúnem nas praias e piscinas para aproveitar este período, de dias mais longos e temperaturas mais elevadas.

Infelizmente, as condições climáticas do verão podem causar problemas capazes de arruinar as férias, como algumas doenças sazonais relacionadas ao sol e ao calor desta estação do ano. A dermatologista Luciana Velloso, professora da Faculdade de Medicina de Petrópolis, explica que os problemas de pele mais comuns no verão estão relacionados ao aumento da oleosidade, à maior produção de suor e ao efeito da exposição solar. “Dentre eles, podemos citar a brotoeja, as micoses, queimaduras solares e o bicho geográfico, causado pelo contato com areia de praia contaminada com fezes de cães ou gatos”, diz a médica. A dermatologista ainda lembra sobre a importância do uso de objetos importantes para a prevenção: “Usar chapéus e bonés, buscar proteção de sombras, evitar exposição ao sol nos horários de pico e usar óculos escuros com proteção UVA/UVB são prevenções necessárias”.  

Confira mais informações sobre as doenças de pele mais comuns neste período.

Bicho geográfico (Bicho do pé)

É a doença cutânea causada pela entrada da Larva Migrans na pele, através de cortes ou feridas. Em contato com a pele humana, a larva causa lesões avermelhadas que provocam coceira e se caracterizam por um contorno tortuoso, semelhante a um mapa. Normalmente, o bicho geográfico instala-se na região do pé, por conta do contato direto com gramados ou areia, ambientes que retêm umidade e protegem as larvas do calor, conservando-as vivas. Como estas larvas chegam a estes ambientes através das fezes de cachorros e gatos, a maneira mais eficaz de evitar o bicho geográfico é recolhendo as fezes destes animais domésticos depositadas nos locais públicos. Também é bom evitar sentar-se diretamente na areia e andar descalço.

Fitofotodermatoses

São queimaduras causadas pelo contato entre a pele e algumas frutas cítricas, como limão e maracujá, somado à exposição solar. Essas queimaduras causam manchas escuras na região afetada que, apesar de não arderem, levam mais de 4 semanas para sumirem completamente e são bastante incômodas. Além disso, estas queimaduras também podem prejudicar a pele e acelerar o envelhecimento da região. A prevenção é simples, mas exige atenção, já que é preciso lavar muito bem as regiões que tocaram as frutas antes de tomar sol. Use sabão e esfregue-as completamente, fazendo o mesmo com eventuais outras partes do corpo que também tenham entrado em contato com as frutas.

Brotoeja

Usar protetor solar é fundamental, mas igualmente importante é saber que tipo de produto aplicar: creme, gel, ou spray. O uso excessivo de filtro em creme pode obstruir as glândulas sudoríparas, o que provoca o aparecimento de bolinhas vermelhas na pele. Também pode ser causada pelo uso de cremes ou de roupas fechadas que impedem a transpiração completa. Os fatores se somam no verão e resultam no aparecimento da brotoeja. A doença geralmente aparece nas regiões com dobras, e causam desconfortos relacionados a coceira, vermelhidão, sensibilidade e queimação no local. Para se prevenir contra a brotoeja, opte por roupas leves e de algodão, filtros solares em spray/gel e ambientes arejados.

Micose

O calor e a umidade são a combinação perfeita para a proliferação de fungos causadores de micoses, principalmente em ambientes comunitários onde ocorre contato direto com a pele, como praias, piscinas e vestiários. Todo o corpo pode ser afetado pelas micoses, mas no verão, é comum o acometimento das virilhas, pés e unhas. No pé, a micose mais frequente é a frieira, que ocorre entre os dedos.Nas unhas a doença mais frequente é a onicomicose, que é provocada por fungos e também pelas leveduras, outro tipo de microrganismo comum na natureza. Inicia-se deixando a ponta da unha amarelada e além de causar dor, também incomoda. Aos poucos, a unha fica espessada e com aparência feia.

Ao sinal de micose, deve-se procurar o dermatologista. A automedicação não é aconselhada já que as micoses podem ser confundidas com outras doenças. Para evitar as micoses, recomenda-se manter todas as dobras do corpo bem secas e higienizadas (virilha, axilas, entre os dedos dos pés), não usar sapatos fechados ou com meias durante dias de calor intenso, não permanecer muito tempo com roupas molhadas e vestir tecidos que favoreçam a transpiração, como o algodão.



NOTICIAS

11/09/2017 - HPV: vírus silencioso e perigoso

SAIBA +

05/08/2017 - Campanha de Vacinação passa por comarcas e pela Justiça Federal

SAIBA +

03/08/2017 - Saiba identificar os sintomas da estafa

SAIBA +

29/06/2017 - Aprenda a proteger a pele no inverno

SAIBA +

20/06/2017 - Atenção às doenças de inverno

SAIBA +

12/06/2017 - Campanha de Vacinação chega ao Centro do Rio

SAIBA +

08/06/2017 - Campanha de Vacinação bate a marca de 4 mil doses

SAIBA +

31/05/2017 - Saiba mais sobre a Esclerose Múltipla

SAIBA +

08/05/2017 - Atenção ao uso do computador

SAIBA +

26/04/2017 - Hipertensão: prevenção é a saída

SAIBA +

[MAIS NOTÍCIAS]