Logo da CAARJ
Logo da OAB-RJ

CULTURA & LAZER | NOTÍCIAS

Direito como escolha profissional e música para diversão

O tributarista Carlos Augusto da Costa Guilherme ou Kako Guilherme, como é conhecido pelos amigos, de 32 anos, canta, toca violão, guitarra e gaita. “A paixão pela música surgiu aos 16 anos”, diz. “Pedi um violão de presente ao meu pai para me enturmar com a galera do colégio”.

Começou a estudar sozinho, por não poder pagar as aulas de violão. “Aprendi violão e guitarra e pratiquei baixo, piano e bateria. Toquei na igreja durante cinco anos, mas não me atrevo a dizer que toco todos esses instrumentos, já que há anos não pratico nenhum deles”, justifica.

De 2005 até 2008, ano em que iniciou o curso de Direito, fez shows como músico profissional. Cantou em duas bandas de rock: Commando Alpha e Banda A.N.A e participou do grupo de pagode Diz Aí. Em seu estilo eclético, como se define, escuta de tudo. “Curto pop rock nacional, internacional, MPB, mas é no rock que me sinto mais à vontade”, confessa sua preferência.

Formado em 2013, o advogado fala como foi a opção pela carreira: “Trabalhava em uma imobiliária sob a direção de um advogado e, às vezes, fazia algumas diligências no Fórum”. Após pesquisar sobre os cursos de Música e Direito e analisar as oportunidades no mercado de trabalho, o Direito foi mais vantajoso, ele afirma. “A música sempre foi mantida como hobby, não a abandonei”.

“A música alivia muito as tensões. Sinto muita falta de tocar e cantar mais vezes”, confidencia. “A vida corrida de trabalhar, estudar, dar atenção à família é complicada. Busco organizar meu tempo para voltar a me divertir um pouco com meus amigos e fazer shows”, conta.

Para 2015 seu plano é: “Montar um projeto com outros amigos para fazer um som em formato acústico, tipo Boyce Avenue”.