Logo da CAARJ
Logo da OAB-RJ

INSTITUCIONAL | NOTÍCIAS

Caarj veste amarelo em setembro para prevenir o suicídio


A Caixa de Assistência dos Advogados do Rio de Janeiro (Caarj) apoia, novamente, a campanha Setembro Amarelo, que acontece no Brasil desde 2015 e visa a conscientização da sociedade sobre a prevenção do suicídio. A fachada da Caarj recebeu a iluminação especial na cor amarela em homenagem à campanha.

O Setembro Amarelo é uma iniciativa do Centro de Valorização da Vida (CVV), do Conselho Federal de Medicina (CFM) e da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), que escolheu este mês pelo fato de o dia 10 de setembro ter sido escolhido pela Associação Internacional para Prevenção do Suicídio (IAPS) como o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio.

“Depressão não é bobeira, nem frescura. É doença! Considerada pela Organização Mundial da Saúde o Mal do Século. Só isso já dá a medida da sua gravidade. Muita gente não sabe, mas a cada dia temos 32 suicídios no Brasil. Um suicídio a cada 45 minutos. Motivo mais do que suficiente para não fecharmos os olhos para o problema. É preciso ligar o sinal de alerta sobre o assunto e a Caarj está junto nesta campanha para promover este debate”, disse o presidente Ricardo Menezes.

Pelos números oficiais da campanha, no mundo, ocorre uma morte a cada 40 segundos. Aproximadamente 1 milhão de pessoas se matam a cada ano. O CVV alerta que os números são ainda maiores do que os computados.
Segundo a entidade, o total de tentativas supere o de suicídios em pelo menos dez vezes.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que nove em cada dez mortes por suicídio podem ser evitadas. A prevenção, portanto, é fundamental para reverter esse quadro, garantindo ajuda e atenção adequadas.

O Setembro amarelo busca estimular que as pessoas percam o medo de se falar sobre o assunto, compartilhem informações, conscientizem os amigos, estimulem o diálogo e tirem, assim, o assunto da invisibilidade.

Porém, o CVV frisa que os problemas pessoais que levam as pessoas a porem fim à própria vida podem ser muito complexos, por isso é importante que amigos, familiares e colegas procurem o diálogo e saibam identificar os sinais dessa intenção, mas sempre orientando a pessoa a entrar em contato com o próprio Centro de Valorização da Vida, que tem uma central de apoio, ou a algum profissional habilitado para lidar com a situação.

A central de apoio emocional e prevenção do suicídio do CVV atende voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo. O contato podem ser feito através do site do CVV ou pelo Disque 188.